Image Map

sábado, 12 de Julho de 2014

Fallen - Review

Comecei a ler este livro porque me foi emprestado por uma amiga. Ela emprestou-me inclusive, todos os quatro livros da série. Entrei nele com poucas expectativas depois de ter visto tantos comentário e opiniões negativas.
Anjo Caído (tradução portuguesa) conta-nos a história da Luce, uma rapariga com um passado que a obrigou a ser transferida para o internato Sword & Cross. Lá ela encontra um rapaz misterioso, o Daniel, e não consegue parar de pensar que o conhece de algum lado. Ele é lindo e não quer saber dela. Despreza-a desde o inicio mas ela não descansa. Porém, há um rapaz que parece estar muito interessado nela, o Cam...

Eu achei o livro fraquinho embora até tenha considerado a ideia da autora interessante. Penso que se ela tivesse explorado melhor a parte sobrenatural e dado menos espaço ao triângulo amoroso o livro teria até sido bom. Mas o problema deste tipo de livros, é que são feitos para vender. Não importa se as coisas estão bem feitas desde que haja um romance para entreter o leitor.

Uma parte importantíssima de qualquer história é o cenário e eu achei algumas incoerências neste livro.
No inicio, o internato é-nos descrito como extremamente severo. Existem câmaras em todos os cantos, são proibidos telemóveis, etc. Mas ao longo do livro, essas câmaras são quase totalmente esquecidas pois os alunos têm muitos outros locais sem qualquer tipo de vigilância, fazem festas nos quartos uns dos outros e ninguém parece importar-se, a personagem principal falta ás aulas e ninguém lhe diz nada... São estas pequenas coisas que fazem o livro não ser realista.

Até as personagens não tem nada de interessante. Nada que nos faça identificar com elas ou torcer para que tenham sucesso. O interesse amoroso da Luce não nos faz ficar caídinhas por ele, inclusive, tem umas atitudes bem detestáveis!

No geral é um livro que merecia ser mais bem escrito e ter uma história mais bem construída.
Recentemente, li a série Hush Hush da Becka Fitzpatrick e não pude deixar de as comparar. Embora não tenha gostado muito de Hush Hush, consegui ainda gostar menos de Fallen.

Digam o que acharam do livro e se concordam comigo.

Beijinhos 
Marina Pinho 

domingo, 6 de Julho de 2014

Poesia - Um bicho de sete cabeças?



Tenho de confessar que não sou grande fã de poesia. Sempre que abria um livro e via aqueles versos agrupados em estrofes, não sentia nada. Não me transmitiam as emoções que uma narrativa me faz sentir. Eu tinha essa "aversão" à poesia até ao meu último ano de secundário, quando começamos a estudar Fernando Pessoa.
Com Pessoa, comecei a perceber que este estilo literário não é só fazer rimas. Ele pode ter um sentido e passar uma mensagem mais forte, em quatro linhas que um texto narrativo não consegue em quatro parágrafos. Senti isso em poemas como o "Autopsicografia" ou o "Isto" que me fizeram por cérebro a trabalhar e a desenvolver novas questões que nunca tinha colocado a mim própria. Problemas como a intelectualização dos sentimentos ou a noção de felicidade. 

Autopsicografia 

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.


Posso então dizer que foi com Fernando Pessoa e os seus heterónimos, que comecei a prestar mais atenção à poesia. Ainda ando nesta fase de descoberta e ainda são poucos os poetas que me despertam interesse.

Vi este vídeo do canal Cabine Literária e não pude deixar de compartilhar com vocês pois mostra como a poesia pode ser bonita e interessante. Ela tem vários mecanismos para passar a sua mensagem, mecanismos esses que uma prosa não tem com tanta elegância. 

Comentem o que acham sobre este tema e se partilham dos meus sentimentos por este género literário. 

Beijinhos
Marina Pinho